terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Posições em que humanos são melhores que o computador

 Atualmente é claro que o computador (munido com uma boa engine) é muito mais forte que os melhores jogadores humanos. Mas será que não temos mais nada a ensinar o computador? Seria o cérebro de silício superior ao de carbono em todas as posições nas 64 casas?

 A resposta é não! Muitos acreditam que a última esperança do ser humano é a estratégia, que em táticas o computador "vê tudo". Mas mostrarei aqui que isto não é verdade, veremos belas soluções táticas que eludem a máquina. Não é dificil montar posições absurdas que a maquina não entende, mas todas as posições que mostraremos vem de partidas reais.

 Antes de começarmos, para o leitor que quiser confirmar nossa afirmação de que a engine não "vê" a solução, recomendo que monte a posição e deixe a engine pensar o quanto quiser antes de colocar a solução. O motivo é que depois que você mostra a solução para a engine os valores ficam salvos na tabela hash e quando você retornar à posição inicial ela verá a solução rapidamente.

 Começamos com um clássico:

negras jogam e ganham

 A posição vem da partida entre Topalov e Shirov em linares 1998. Shirov tem 2 peões de vantagem, mas devido aos bispos de cores opostas as brancas tem chance de segurar o empate. Shirov gostaria de trazer o rei para e4 para suportar o avanço dos peões, mas depois de 1...Bc2 2. Rf2 Rf5 3.Re3 e as brancas impedem o avanço do monarca negro. Shirov teve então a ideia extraordinária de sacrificar seu bispo por um único tempo para que seu rei alcance e4:
 1...Bh3!!! 2.gxh3 (2.Rf2 não salva as brancas devido a 2...Rf5 3.Rf3 Bxg2+! 3.Rxg2 Re4, o resto é identico ao jogo) 2...Rf5 3.Rf2 Re4, agora os 3 peões passados são demais para as brancas. O jogo seguiu 3.Bxf6 d4 4.Be7 (forçado para imedir a3) Rd3 5.Bc5 (novamente forçado, permitir Rc2 perde mais rapido) Rc4 6.Be7 Rb3 0-1, as negras seguem Rc2 e as brancas só podem segurar um peão.
 O lance de Shirov se torna ainda mais genial quando se percebe que era o único lance ganhador, vários jogadores analisaram a posição e chegaram à conclusão que tentar vencer por meios normais não funciona, por exemplo 1...Bb1 2.Rf2 Rf5 2.Re3 a3 3.g4+ Rxg4 4.Bxf6 a2 5.Rd2 d4 6.Bxd4 Rxh4 7.Rc1 Bf5 8.Rb2 Be6, nesta posição as brancas entregarão seu bispo pelo peão g e o peão de torre coroa na cor errada. O leitor naturalmente pode fazer outras tentativas para as negras, o motivo de mostrar esta linha é que ela expõe um dos problemas com as engines. Na linha mostrada as engines dão avaliações extremamente altas, na ordem de +3, que normalmente seria uma avaliação ganhadora, mas avaliar finais segundo os mesmos parametros que se avalia meio jogos não funciona.

 O próximo problema lembra uma defesa india do rei (a qual as engines tem grandes dificuldades em compreender):


Negras Jogam e ganham

 As negras ganham com 1...Txh2+! 2.Bxh2 Dh4 3.Dg1 Tf8, aqui a idéia não é Tf6-Th6, mas sim Tf4-Dh6-Th4, com a torre na frente da dama o mate é forçado, se por exemplo 4.Tb7 então 4...Tf4 e as brancas podem abandonar. A única maneira de imperdir a manobra mencionada é 4.f4, mas depois de 4...exf4 5.c3 (forçado para impedir Bd4) 5...Bg4, as negras pretendem Be5 seguido de f3, as brancas não tem defesa. Curiosamente a engine mais forte na atualidade (stockfish 8) avalia a posição inicial como melhor para as brancas!!


 A proxima posição não é um simples problema em que um lado joga e ganha, mas ela tem um detelhe muito interessante que escapa a engine inicialmente, ela vem da partida Robin Van Kampen - Radoslaw Wojtaszek, Munich 2016:


negras jogam

 Na posição do diagrama as negras podem tomar de volta seu bispo com 1...bxc6, mas na posição resultante elas estão claramente piores devido ao peão fraco c6 na coluna aberta. As negras então jogaram 1...Tc8, imaginando que se as torres são trocadas a fraqueza em c6 é menos significativa, ao que as brancas replicaram 2.Tc4 chegando à seguinte posição.


negras jogam


 Aqui as negras notaram um fenomeno extraordinário! Se elas jogam 2...Txc6 (note leitor que nossa linha principal não foi jogada na partida) as brancas seguem 3.Db8+ Rh7 4.Txc6 bxc6 (o melhor lance é 4...Dxc6!, que permite 5.Dxa7, mas mantem chances de segurar o final com peão a menos) 5.Dxb6 axb6, ate aqui esta é essencialmente a linha principal da engine, e o que as negras estavam calculando, entretanto...

 
Brancas jogam

 As negras notaram para seu choque que o final de peões 6 contra 6 é perdido para as negras!! De fato 6.a4 (ameaçando b4 e a5) 6...c5 7.Rg2 Rg6 8.Rf3 Rf5 9.Re3 Re5 10.Rd3 Rd5 11.e4+ Rc6 12.Rc4, ate aqui as negras impediram a penetração do rei branco, mas agora estão em zugzwang e as brancas ganham fazendo as negras gastarem seus lances de peão, por exemplo 12...e5 13.g4! g6 14.h4 f6 15.h5 g5 16.f3, agora acabou, 16...Rc7 17. Rb5 Rb7 18.a5 bxa5 19.Rxc5 Ra6 20.Rc6 1-0.
 Notando que o final de peões era perdido, as negras resolveram aceitar a fraqueza em c6 com 2...bxc6, mas esqueceram que torres se movem na horizontal e tiveram que abandonar depois de 3.Tg4 g5 (3...g6 permite 4.Txg6+ fxg6 5.Dxe6+ seguido de Dxc8)  4.Df6 .... 1-0

 Pra finalizar com chave de ouro veremos mais um clássico:

Brancas jogam e ganham

 A posição ocorreu na partida Nigel Short - Jan Timman, Tilburg 1991. As brancas tem posição dominante, mas é surpreendentemente difícil finalizar as negras. As brancas tem de introduzir mais uma peça no ataque, gostariam trazer o cavalo, mas não podem devido a mate em g2, gostariam de jogar g4, mas isso solta o cavalo em f3. Nigel então teve a ideia genial de introduzir o Rei ao ataque!! Eis que o rei marcha acima num tabuleiro cheio de peças e as negras nada podem fazer!

 1.Rh2!! Tc8 as negras podem tentar 1...Bc8, mas com o bispo fora da grande diagonal as brancas podem trazer o cavalo ao ataque decisivamente 2.Cg5 Bxd7 3.g4 hxg4 4.h5 gxh5 (do contrário as brancas ganham com h6) 5.Dh6 com mate em seguida 2.Rg3!! Tce8 3.Rf4!! Bc8 4.Rg5 1-0

terça-feira, 1 de novembro de 2016

IRT Memorial Antonio Padua

Concluiu-se neste sábado dia 29 de outubro o IRT Memorial Antonio Padua. O torneio foi realizado em 2 fins de semana na sede da Associação Leopoldinense de Xadrez (ALEX) e este que vos escreve terminou campeão!

Este foi meu primeiro torneio FIDE desde o ano passado. Originalmente minha intenção era jogar a final do campeonato cearense, para a qual estava me preparando desde que me qualifiquei em julho. Quando decidi que as datas não eram viáveis decidi jogar um IRT no Rio de Janeiro (onde estava).

Neste torneio certamente joguei meu melhor xadrez até o momento, naturalmente cometi imprecisões aqui e ali, mas não tive nenhum erro grave, exceto na segunda rodada que deixei passar alguns táticos, mas sem estragar a posição. A divisão do torneio em 2 fins de semana certamente me beneficiou, considerando que uma de minhas principais fraquezas é a falta de estâmina nas últimas rodadas. Em mais de um torneio passado eu arruinei uma excelente performance jogando terrivelmente nas últimas rodadas.

Enfim, chega de fala fala e vamos ver algumas posições:


A posição do diagrama ocorreu na primeira rodada. Meu oponente acaba de jogar 22...b6 tentando remover minha torre da quinta fila para uma posição mais passiva, se as brancas jogam 23. Ta4 as negras seguem Ce5 ou mesmo Ce3 com bom jogo. Entretanto o enfraquecimento da posição do rei permite às brancas um belo golpe tático: 23.Cd5!


Agora se 23...bxa5 24.Db6+ Ra8 25.Cc7+ ganha a dama negra. As negras tinham que se contentar com 23...exd5 24.Txd5 Dc7 25. hxg4 quando as brancas tem peão a mais e ameaças de invadir na coluna f. Meu oponente jogou 23...Tb8, que era o lance crítico que tive que calcular quando joguei Cd5. As negras defendem b6 e mantém ambas as peças atacadas, se tivesse que mover a torre as negras poderiam tomar d5 em condições melhoradas, mas eu tinha tudo calculado e repliquei instantaneamente com o lance ganhador 24.Dc4!, ameaçando Dxa6#, se 24...Db7 25.Tf7! termina o jogo, 24...bxa5 é então forçado, mas depois de 25.Dxe5+ as negras perdem a dama, o jogo seguiu 25...Rb7 (se 25...Ra8 26.Cb6+, 25...Bc5 salva a dama mas entrega todo o resto) 26.Db6+ e as negras abandonam. É importante notar um último detalhe, depois de 26...Ra8 (se 26...Rc8 27.Tc1+) 27.Cc7+ ganha a dama, mas não 27.Dxa6+?? que daria mate com Cc7 em seguida se Da7 não viesse com xeque arruinando tudo, nunca é tarde demais para estragar um jogo!

A posição seguinte ocorreu na terceira rodada. Meu oponente de pretas acaba de jogar 11...Dc8


Eu joguei 12.e5, nesta altura eu acreditava ter grande vantagem e culpava o lance Dc8 pelo predicamento de meu oponente, a coluna e vai abrir e o rei negro vai ficar preso no centro. Entretanto eu e meu oponente ambos não vimos o recurso salvador das negras. Depois de 12...dxe5 13.Dxe5 O-O! 14.Dxe7 as negras empatam com 14...Bxg2! quando 15.Rxg2 Dg4+ leva a perpetuo. É curioso que quando joguei e5 eu considerei linhas em que as negras tentavam contrajogo com Dg4, mas nada funcionava, simplesmente não me ocorreu a ideia de tomar g2 primeiro. Na partida meu oponente também não viu este recurso e jogou 12...Cg4??, tentando bloquear a coluna com Ce5, mas depois de 13.exd6 cxd6 14.Bg5 a partida não durou muito.

A próxima posição ocorreu na quarta rodada


Na posição do diagrama eu joguei 12...b5, que tem sucesso em quebrar o Maróczy Bind das brancas. 13.Cxb5 e 13.cxb5 ambos falham devido 13...Cxe4. O único lance que mantém a posição jogável para as brancas é o temático 13.e5!, com a ideia de bloquear a diagonal do bispo em g7. Enquanto eu pensava na posição depois de e5 meu oponente me surpreendeu com 13.Bb2?, que simplesmente entrega o peão em c4, depois de 13...bxc4 ele piorou ainda mais a situação com 14.Cd5? que me permite ganhar qualidade com 14...Bxd5 15.exd5 c3! 16.Bxc3 Ce4 17.fxe4 Bxc3 seguido de Bxa1.
A razão pela qual mostro esta posição, entretanto, é que 12...b5 não é o melhor lance! As negras podiam quebrar o bind com 12...d5!, agora qualquer captura em d5 permite 13...Cxd5 e se as brancas tentam 13.e5 segue 13...dxc4 14.exf6 Bxf6 15.Bxc4 Bxc4 16.bxc4 Dd4+ recuperando a peça. O único lance que mantém as brancas no jogo (embora com posição inferior) é 13.Tb1, evacuando a diagonal e contra-atacando b7 em caso de captura em c4.


Como o leitor pode ver, além do formato em 2 fins de semana, também me beneficiou a falta de familiaridade de meus oponentes com meu jogo. De fato a única partida em que me foi preciso mostrar conhecimento teórico foi a última. Cheguei na última rodada com 5 pontos em 5 possíveis precisando de um empate com as peças negras para garantir a primeira colocação. Meu oponente era o pré-rankeado número 1 do torneio. No dia anterior à rodada eu dei uma olhada nas suas partidas na database e não achei nenhuma partida contra o gambito benko, de modo que minha escolha de abertura ficou fácil. A partida seguiu:

1.d4 Cf6 2.c4 c5 3.d5 b5 4.cxb5 a6 5.bxa6 g6 6.Cc3 Bxa6 7.Cf3 Bg7 8.g3 d6 9.Bg2 Cd7 10. Tb1 O-O 11. O-O Da5 12. Bd2 Bb7 13.Dc2 Da7 14.e4 Ba6 15.Tfd1 Cg4 16.h3 Ce5 17.Cxe5 Cxe5 18.Be3 Cc4 19.Bc1 neste ponto meu oponente tinha quase meia hora a menos no relógio e sentindo que não tinha manejado a abertura da forma mais precisa me ofereceu empate. Eu brevemente ponderei recusar o empate, na hora eu achava que devia ter a melhor posição, devido especialmente aos tempos perdidos com o bispo, mas como não vi nada particularmente claro segui o princípio de mínimo esforço e aceitei o empate que me garantia o torneio. Analisando a posição com o computador vi que minha avaliação era muito otimista e portanto aceitar o empate realmente foi a decisão correta.

O leitor interessado pode ver as partidas completas das 4 primeiras rodadas na página do torneio no chess-results (link no primeiro parágrafo), as 2 últimas rodadas ainda não foram postadas.

Uma coisa que notei neste torneio é que eu tenho uma tendência a supervalorizar a iniciativa. Em mais de uma ocasião eu avaliava a posição como melhor pra mim e quando eu ia analisar depois com o computador ele dizia que a posição não era nada demais. Infelizmente vai demorar até que possa jogar outro torneio, mas no meio tempo vou peruar por aqui no blog.

domingo, 23 de outubro de 2016

Defesa Câmara

Meu primeiro contato com a defesa Câmara se deu após o falecimento do enxadrista Ronald Câmara. Na época nada sabia sobre os irmãos Câmara quando a notícia do falecimento de Ronald me levou a um daqueles infâmios vórtices da internet (um link leva a outro, que leva a outro...). Eventualmente no meio da turbulência do vórtice me deparei com a defesa Câmara, criação do outro irmão Câmara, MI Hélder Câmara.

A defesa Câmara (DC daqui em diante) se trata da linha 1.e4 e5 2.Cf3 De7?!. MI Hélder explica que a ideia deste lance, que parece quebrar todos os princípios da abertura, é obter uma defesa índia do rei contra 1.e4!


Por exemplo 1.e4 e5 2.Cf3 De7 3.Cc3 c6(previnindo Cd5) 4.d4 d6(mantendo o representante negro no centro) 5.h3 g6(fianquetando o bisppo antes de Cf6, do contrário as brancas tem Cg5, i.e 5...Cf6 6.Bc4 g6? 7.Cg5) 6.Bc4 Bg7 7.O-O Cf6 8.Te1 O-O 9.a4 Cd7 quando as negras tem uma configuração típica da índia do rei (embora o leitor mais implicante possa dizer que é uma pirc).


De início não dei muito crédito à ideia, afinal se xadrez faz sentido o lance 2...De7 tem que ser ruin. Até que me deparei com este artigo, no qual o MF Álvaro Aranha mostra uma partida sua com a DC. O artigo me inspirou a tentar a DC em partidas blitz e rápido na internet.

Joguei várias partidas com a DC na internet, incluindo várias contra MFs e MIs, e para minha surpresa nenhum de meus oponentes encontrou uma abordagem particularmente convincente contra ela. Eu sempre obtia jogo razoável, ou expandindo no flanco dama com b5 e a5, ou, se meu oponente impedisse b5, jogava no flanco rei de maneira semelhante à partida do MF Aranha. Isto me levou a considerar utilizar a DC em torneios, o que necessitaria uma investigação um pouco mais séria da defesa.

Um belo domingo resolvi tirar a tarde pra analisar a abertura. Munido do meu bom e velho houdini 1.5 embarquei numa missão para explorar esta defesa peculiar. Infelizmente a missão durou poucos minutos pois quase imediatamente encontrei uma refutação jogando os lances mais naturais:

1.e4 e5 2.Cf3 De7 3.Cc3 c6 4.d4 d6 5.Bc4 os lances 5.h3, 5.Be2 e 5.a4 são razoáveis (e populares com meus oponentes), mas obviamente não podem constituir uma refutação da defesa 5...g6 6.Bg5 Cf6 7.dxe5 dxe5, esta posição foi alcançada algumas vezes na database, mas ninguém encontrou o lance correto aqui.


8.Cxe5!! Dxe5 9.f4 De7 10.e5
, as brancas recuperam a peça com interesse, um conceito notável!

Parece que quebrar os princípios realmente é ruin!